Abril de 1998
As palavras movem, mas os exemplos arrastam!
Comente
Leia os comentários
Envie para amigos
Versao para impressão
SOS - Família

As palavras movem, mas os exemplos arrastam!

O adágio supra era citado com freqüência pelo Prof. Plinio Corrêa Oliveira, a fim de recordar a importância dos bons exemplos, os quais persuadem muito mais eficazmente do que as palavras. Para esta seção, dedicada à família católica, tal provérbio é de um valor capital, pois os filhos espelham-se nos pais; assim como forem os pais,  normalmente serão os filhos.

Trecho extraído da Encíclica Divini Illius Magistri,de Pio XI  (31 de dezembro de 1929)

"0 primeiro ambiente natural e necessário da educação é a família, precisamente a isto destinada pelo Criador.  De modo que, em geral, a educação mais eficaz e duradoura é aquela que se recebe numa família cristã  bem ordenada e disciplinada, tanto mais eficaz quanto mais clara e  constantemente aí brilhar sobretudo  o bom exemplo dos pais  e dos outros domésticos.

"Não é nossa intenção querer tratar aqui propositadamente da educação doméstica. [...] Queremos porém chamar de um modo especial a vossa atenção, Veneráveis Irmãos e amados Filhos, sobre a lastimável decadência hodierna da educação familiar. Para os ofícios e profissões da vida temporal e terrena, com certeza de menor importância, fazem-se longos estudos e uma cuidadosa preparação, quando, para o ofício e dever fundamental da educação dos filhos, estão hoje pouco ou nada preparados muitos pais demasiadamente absorvidos pelos cuidados temporais. [...]

"Rogamos instantemente, pelas entranhas de Jesus Cristo, aos Pastores de almas, que nas instruções e catequeses, pela palavra e por escritos largamente divulgados, empreguem todos os meios para recordar aos pais cristãos as suas gravíssimas obrigações não só teórica ou genericamente, mas também praticamente e em particular cada uma das suas obrigações relativas à educação religiosa, moral e civil dos filhos e os métodos mais apropriados para atuá-la eficazmente, além do exemplo da sua vida" (grifos nossos).

A autoridade dos pais deve visar, acima de tudo, a reta educação dos filhos

"Cuidem por isso os pais e com eles todos os educadores de usar retamente da autoridade a eles dada por Deus, de quem são verdadeiramente vigários, não para vantagem própria, mas para a reta educação dos filhos no santo e filial 'temor de Deus, princípio da sabedoria' sobre o qual se funda exclusiva e solidamente o respeito à autoridade, sem o qual não podem subsistir nem ordem, nem tranqüilidade, nem bem-estar algum na família e na sociedade" (Pio XI, Divini Illius Magistri, Documentos Pontifícios n. 7, Vozes, Petrópolis, 1956, pp. 29 a 31).

Má influência ou descuido podem produzir conseqüências para toda a vida da criança

Da Alocução de Pio XII a senhoras da Ação Católica, em 26 de outubro de 1941:

"Se São Gregório não duvidou chamar a todo o governo das almas 'ars artium', a arte das artes (Regula pastoralis, 1.I, c.I _ Migne PL, t. 77, col. 14), é certamente arte difícil e laboriosa a de plasmar bem as almas das crianças; almas tenras, fáceis em deformar-se por impressões imprudentes ou por falsos estímulos, almas das mais difíceis e delicadas de se guiarem, nas quais muitas vezes, mais que na cera, uma influência funesta ou um descuido culpável bastam para lhes imprimir vestígios indeléveis e malignos. Felizes aquelas crianças que encontram na mãe junto do berço um segundo anjo da guarda para a inspiração e o caminho do bem!" (Pio XII, Davanti a questa, Documentos Pontifícios, n. 61, Vozes, Petrópolis, 1953, pp. 4-5) (grifo nosso).

 

Comente
Leia os comentários
Envie para amigos
Versao para impressão